morfologia e histologia do Rim

O aparelho urinário tem como porção funcional os dois rins. Esse órgão par situa-se em posição retroperitonial, ou seja, entre peritônio e a parede posterior do abdome, situados de cada lado da coluna vertebral, por diante da região superior da parede posterior do abdome, estendendo-se entre a 11ª costela e o processo transverso da 3ª vértebra lombar. São, portanto, recobertos pelo peritônio e circundados por uma massa de tecido adiposo unilocular e de tecido conjuntivo frouxo.
Seu comprimento médio é de 11,25cm; a largura, 5 a 7,5cm; espessura: 2,5cm. Cabe destacar que o rim esquerdo é um pouco mais comprido e mais estreito do que o direito. Pesa de 125 a 170g no  sexo masculino e de 115 a 155g nas mulheres.
O rim direito normalmente situa-se ligeiramente abaixo do rim esquerdo devido ao grande tamanho do lobo direito do fígado.
rim humano. Seta vermelha: medular; seta sem preenchimento: cortical.



rim humano, corte longitudinal, com as principais estruturas identificadas.

 
Em um corte através do rim, como vemos acima, são reveladas duas regiões distintas: uma área avermelhada, in vivo, de textura lisa, mas com aspecto pontilhado em material fixado, chamada córtex renal e uma área marrom-avermelhada profunda in vivo, rajada, denominada medula renal.
A medula consiste em estruturas cuneiformes, as pirâmides renais. A base (extremidade mais larga) de cada pirâmide está sobre o córtex, e seu ápice (extremidade mais estreita), chamada papila renal, aponta para o hilo do rim.
As partes do córtex renal que se estendem entre as pirâmides renais são chamadas colunas renais.
Juntos, o córtex e as pirâmides renais da medula renal constituem a parte funcional, ou parênquima do rim. No parênquima estão as unidades funcionais dos rins – cerca de 1 milhão de estruturas microscópicas chamadas NÉFRONS. A urina, formada pelos néfrons, drena para os grandes ductos papilares, que se estendem ao longo das papilas renais das pirâmides. Os ductos drenam para estruturas chamadas cálices renais, menor e maior. Cada rim tem 8-18 cálices menores e 2-3 cálices maiores.  O cálice renal menor recebe urina dos ductos papilares de uma papila renal e a transporta até um cálice renal maior. Do cálice renal maior, a urina drena para a grande cavidade chamada pelve renal e depois para fora, pelo ureter, até a bexiga urinária. O hilo renal se expande em uma cavidade, no rim, chamada seio renal.  

O néfron é formado por dois componentes principais:

   1. Corpúsculo Renal:
Cápsula Glomerular (de Bowman);       
Glomérulo – rede de capilares sangüíneos enovelados dentro da cápsula glomerular

   2. Túbulo Renal:       
Túbulo contorcido proximal;       
Alça do Néfron (de Henle);       
Túbulo contorcido distal;

Túbulo coletor: não faz parte do néfron por ter origem embrionária distinta.

 
O néfron é, portanto, a unidade morfofuncional ou a unidade produtora de urina do rim. Cada rim contém cerca de 1 milhão de néfrons. Na fotografia acima, a seta aponta para uma fração do néfron, o túbulo contorcido distal, área especializada em reabsorver água, sódio e eliminar potássio e ainda regular o pH urinário. Seu funcionamento é bem relacionado à ação do ADH, hormônio anti-diurético. São células cúbicas, mais baixas que as do túbulo contorcido proximal, visto logo abaixo no mesmo corte. As células do túbulo contorcido proximal são encarregadas da função de recaptação de sódio, água, vitaminas e glicose, e eliminação de antibióticos, alguns alcalóides e creatinina. No túbulo proximal, os microvilos formam a margem franjeada apical, corada acima em azul; é o bordo em escova. O túbulo distal também apresenta menos microvilos, mas de menor tamanho que os do túbulo proximal. 

Na fotomicrografia abaixo, temos um túbulo distal tangenciando o corpúsculo renal, no pólo vascular. Note a presença de células mais altas, ditas "em almofada". Essas células compõem a mácula densa, responsável pela produção de renina, enzima que converte o angiotensinogênio em angiotensina I, substância que é responsável pela formação da angiotensina II e, na sequência, da secreção de aldosterona pela adrenal, elevando a pressão arterial e a retenção de líquidos pelo corpo. 


Na fotomicrografia acima, podemos ver um glomérulo dentro da cápsula de Bowman, corado em HE. Note que, "abraçando" as células endoteliais, temos, mais visíveis na parte da periferia do glomérulo, os podócitos, células que formam as fendas de filtração da estrutura (seta fina). Ainda podemos ver a acidófila matriz mesangial e as células mesangiais (asterisco). 

Os rins realizam o trabalho principal do sistema urinário, com as outras partes do sistema atuando, principalmente, como vias de passagem e áreas de armazenamento. Com a filtração do sangue e a formação da urina, os rins contribuem para a homeostasia dos líquidos do corpo de várias maneiras:

  • Regulação da composição iônica do sangue;
  • Manutenção da osmolaridade do sangue; 
  • Regulação do volume sangüíneo;
  • Regulação da pressão arterial;
  • Regulação do pH do sangue;
  • Liberação de hormônios;       
  • Regulação do nível de glicose no sangue;      
  • Excreção de resíduos e substâncias estranhas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

histologia da próstata masculina

biomembranas