Postagens

Mostrando postagens de 2016

encerrando bem o 2017

Amigos, amigas,

Quero terminar o 2016 de um jeito leve. Ano difícil. Mas há que manter a esperança. Para isso, me valho de Pery Souza e José Fogaça. O primo dos Ramil e o ilustre deputado compuseram essa pérola, que dá o recado por si:


Para Sempre, Amigo

Guarda para sempre, amigo Teu coração sereno Como um raio de lua, Como um filho da estrela d'alva Como um sopro dos astros Teu coração sereno Tem a paz que provém da luz Da luz do teu cantar
Para sempre amigo Teu coração atento Guardará sem receio Essa chama que acende o peito Teu destino parceiro É repartir o sonho Toda a dor, toda a emoção Que vem do teu cantar
O teu ofício amigo Sábio artesão É o de tecer estrelas com a mão E depois espalhar no ar Na magia nova de uma canção Como vela na escuridão Por um tempo bom que há de vir É preciso jamais desistir de lutar Que esse tempo virá
(Pery Alves de Souza e José Alberto Fogaça de Medeiros,  gravado em 1984 por Pery. Ouça em bit.ly/ParaSempreAmigo)


...e que o tempo venha e…

que p*rra é essa?????

Imagem
Calma, o momento é de desopilar na regressiva do 2017... Deu no Terra essa daí, mas tá com cara de Peter Griffin, do sitcom animado "Família da Pesada", da FX. Confere lá, https://saude.terra.com.br/hospital-holandes-investiga-erro-em-26-fertilizacoes-in-vitro,28ef7894d1fdfe52b3017fd937a91e5fg96t8j0w.html

O pessoal do Hospital Universitário de Utrecht, na Holanda, abriu nesta última quarta-feira do ano uma investigação médica. O motivo parece piada, se não fosse coisa séria: foi revelado que pelo menos 26 mulheres podem ter usado o esperma errado durante o processo de fecundação in vitro ao qual foram submetidas. Literalmente falando, que porra é essa?
Pra entender a confusão toda, o conceituado centro médico reconhece a mancada e explica que eles ocorreram entre meados de abril de 2015 e novembro deste ano. Segundo o porta-voz do hospital, trata-se de "um erro de procedimento no laboratório", das fertilizações in vitro, onde foi utilizado para fecundar os ó…

2017

Resistir, existir, rexistir...resiliência, resistência, renascer num 2017 pós Apocalipse de 16. Já começo a crer que o calendário dos Maias estava com um desvio padrão de quatro anos. 
De que modo se explicaria Trump, Sartori e seu pacotaço ao "estilo Átila o Huno", o impeachment mais mal explicado da História, os rotos falando da descosturada, a manipulação midiática e a ascensão iscariótica de Bolsonazi, a eleição de Marchezan "abaixo a SMAM" Jr., Dória e Crivella? 
Ano em que caçadores de butique e a expansão do agronegócio em terras africanas colocam a simpática girafa como "vulnerável", e o veloz guepardo, "criticamente ameaçado", à nefasta extinção... 
Num ano em que vemos a plutocracia avançando, como nos lembra o grande Juremir Machado, privilégios para ricos na forma de isenções fiscais mal explicadas e trolhadas de mordidas arrecadatórias aos servidores e servidoras do estado do Rio Grande do Sul. 
Ano em que perdemos Ferreira Gullar …

sem palavras.

Imagem

grave bem esses nomes.

Grave bem o nome desses e dessas deputados/as. Foram essas pessoas que, na sessão do parlamento gaúcho do dia 20/12/2016, votaram de forma favorável à extinção da METROPLAN, FZB, Fundação Piratini-TVE-FMCultura, Cientec, FEE, FDRH, Fepagro e FIGTF. A eles, a História condenará. Que sobre suas consciências pese (se é que eles têm uma...) o amargo Natal das famílias de 1200 servidores e servidoras com o desemprego na alça de mira.

E que ninguém se esqueça o nome dos vendilhões do Estado. Dos que desempregaram trocentos servidores/as. Dos que empobreceram nossa ciência, cultura e gestão. dos que pilharam aos risos. Dos monstros reptilianos que ocuparam assento na Casa do Povo. Aos que serviram ao seu (des)governador, nosso desprezo, nossa pena por sua pequenez. Um péssimo natal aos senhores e senhoras deputados e deputadas, e a seus apoiadores/as e claque!

Aos resistentes, aos/às leais ao seu povo e sua terra, sua cultura, sua natureza, seus saberes científicos e populares, ou por…

pros que não querem ver ou são cegos

Pra todos e todas que ainda acham que o pacotão do Sartori é a solução para o estado, que tem mais que varrer FEE, METROPLAN, FZB, FEPAGRO, FIGTF, CIENTEC, FEPPS e outras:

Pelo jeito você não quer que haja divulgação de boa música, seja ela erudita, popular brasileira, jazz e world music por rádios, pois só a rádio pública dos gaúchos o faz. Vocês devem adorar as rádios-jabá, com música de péssima qualidade, tocando bagaceirices e produtos de uma indústria musical tosca, sem valorização das orquestras sinfônicas, do jazz, da boa MPB, da música gaudéria que não se vendeu ao esquemão e outras dignas e belas manifestações da CULTURA de verdade. Vocês são aculturados de carteirinha, mesmo! O negócio de vocês é ver Faustão domingo de tarde!

Ah...desculpa...dá para assistir música boa na televisão a cabo...ah, quer dizer então que só quem pode pagar uma assinatura tem direito a ouvir coisa decente... Desculpa, não sabia que Justo Veríssimo ainda dava seus ares por aqui. Pobres, expludam-se!…

Pealo de Sangue: considerações sobre o autor e a canção

Carlos Augusto Borba Meyer Normann
1. O autor Raul Moura Ellwanger nasceu em Porto Alegre, em 17/11/47. Iniciou sua carreira artística em 1966, no circuito universitário de Porto Alegre, que se espelhava no movimento dos festivais do centro do país. Em 1968 era estudante de Direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, e trabalhava como estagiário no escritório de advocacia de Afrânio e Carlos Araújo (aliás, ex-marido da apeada ex-presidenta da República). Desde essa época, Raul era um dos articuladores da Frente Gaúcha da Música Popular. Dessa época, veio sua participação no festival da TV Excelsior, no Rio de Janeiro, com a composição O gaúcho,finalista no evento em 1968. Em anos de chumbo, a interessante e provocativa letra dedicava à ditadura de plantão: “pros milicos trago estrago, pro inimigo outro balaço...”.
Raul logo identificou-se com grupos que, mais tarde, viriam a formar a Vanguarda Armada Revolucionária. Nesse contexto, participou da reunião em que a VAR…

doulas....o que são?

Um respeitável comentarista teceu algumas linhas sobre a proposta da vereadora Jussara Cony, farmacêutica, sobre o projeto de lei, de sua autoria, que possibilita a presença das doulas nos hospitais públicos e privados de Porto Alegre. Pessoalmente, considero uma proposta muito interessante e feliz a da vereadora, não importando aí cores partidárias, e já veremos o motivo.
A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) e o ministérios da Saúde de vários países, entre eles o Brasil (portaria 28 de maio de 2003), reconhecem hoje a profissão de doula. Não é uma "invenção marxista heterodoxa", conforme afirmou o respeitável jornalista em sua manifestação. Pesquisas realizadas na última década (algumas abaixo linkadas) demonstraram que, sob a supervisão de uma doula, o parto tende a evoluir com maior tranquilidade e rapidez e com menos dor e complicações tanto maternas como fetais. 
Com a difusão da nova profissão, a tendência que se espera é que poderá também ocorrer uma substancial…

zoação pronta para meus amigos e amigas colorados/as....

Cara, como diria José Simão, estamos no país da piada pronta! Essa deu no site do Globoesporte (http://globoesporte.globo.com/am/futebol/noticia/2016/12/de-olho-na-renda-princesa-lamenta-jogo-com-inter-pela-copa-do-brasil.html): o glorioso e (para nós do sul maravilha) pouquíssimo conhecido Princesa do Solimões, equipe amazonense sediada na cidade de Manacapuru, a 86 km da capital amazonense (ou seja, longe pra dedéu), será o adversário do mais novo time da Série B do Brasileirão, o Glória do Desporto Nacional. 
Até aí, tudo bem, é comum que, nas primeiras etapas da copa do Brasil, os jogos se pareçam com a continuação do filme Bye, bye, Brasil, com direito à bela música tema do Roberto Menescal e Chico Buarque. Os nomes das equipes e suas sedes parecem a prova de Geografia Física do Brasil de vestibular, e dos bem cascudos... Mas vamos lá, o Tubarão do Norte, como o Princesa é chamado, merece nosso respeito e carinho, beleza!
Legal foi o que o presidente do clube, sr. Modesto Alexa…

de esperança em esperança...valeu, Dom Paulo Evaristo!

Imagem
eu gostaria de ser lembrado como um amigo do povo” (Dom Paulo Evaristo Arns, baita amigo do povo e arcebispo emérito de São Paulo nas horas vagas)


O Brasil e o mundo perderam o grande Dom Paulo Evaristo Arns. Ele morreu em São Paulo nesta quarta-feira, 14, aos 95 anos. Era Arcebispo Emérito de São Paulo. Dom Paulo Evaristo era o quinto dos 14 filhos que Gabriel Arns e Helena Steiner tiveram. Uma boa parte da prole se dedicou ao ministério cristão, como padres ou freiras. Nasceu em 14 de setembro de 1921 na pequena Forquilhinha, na região de Criciúma, antiga colônia de imigrantes alemães em Santa Catarina. Era, com orgulho, colono, filho de pequenos agricultores.  Para estudar, assim como fizera seu irmão mais velho, frei Crisóstomo, Paulo Evaristo entrou em um seminário franciscano. Não à toa que Paulo Evaristo seguiu os passos de Francisco de Assis. O pai agricultor apoiou com entusiasmo, apesar do gasto que representava para a família. Sua irmã, Zilda, optou pela Medicina, e foi uma …

para reflexão....

Mateus 5, 10:Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.

Pa Bo Ent Me Pal Bas

SMAM R.I.P.

Bah, fiquei sem nenhum butiá no bolso com a ideia do futuro prefeito de Porto Alegre. O mandatário na regressiva teve a "ideia" de mexer na gestão ambiental portoalegrense, baseado em seus gurus, as lideranças tucanas do tipo Aécio Neves, Geraldo Alckmin, José Serra e João Doria, além do Movimento Brasil Competitivo (MBC). Todos sumidades na área ambiental, com certeza. 
De sua cartola, saiu a genial proposta de extinguir a gloriosa SMAM em Porto Alegre, trocando-a por um monstrengo de nome "Secretaria Municipal de Sustentabilidade". Me soa algo tão verdadeiro quanto um ingresso de GreNal da série A do Brasileirão de 2017. Pra quem não conhece, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM) de Porto Alegre foi a primeira em sua área no país, quando foi criada em 1976. Sua criação veio de uma pressão legítima da sociedade, em uma época em que um dos poucos protestos que não dava em cadeia, pau-de-arara e espancamentos eram os da área ambiental. É o órgão exec…

o Campeão voltoooou!!!

Imagem
Pois me junto a Sophia, tia Sônia e tantos e tantas que escreveram nas redes sociais sobre o título que ontem foi conquistado pelo nosso Grêmio. Como ela falou, não é por ser gremista, mas nos emocionamos com a atitude do time do Grêmio com aquelas homenagens, o minuto de silêncio, o "forçaChape" na braçadeira.
Fiquei pensando que Sophy e Clara nunca tiveram o gostinho de ver o tricolor levantar um caneco, dar volta olímpica e comemorar até a voz virar um fiapo (desculpa, profe Jaque)... Aquela entrada do time com as crianças foi linda, incluindo aí a pequena Gabrieli Medeiros, a piratinha que encantou o matador Hernán Barcos e a todos nós, vitoriosa sobre um câncer. O respeito aos que partiram cedo demais naquele acidente entre selva e montanha na Colômbia, incluindo aí Matheus Biteco, William Thiego, Dener, Caio Junior, Mário Sérgio, Anderson Paixão e Luiz Cezar Martins marcou o espetáculo. Cabe lembrar que Matheus Biteco, William Thiego e Dener iniciaram suas carreiras na…

(hasta siempre) tenemos esperanza

Imagem
Em lembrança carinhosa ao fato de ter sido nomeado como dignatário da Cátedra de Direitos Humanos do IPA o falecido bispo metodista Federico Pagura, publicamos a partitura de seu tango (sim, e porque não um tango litúrgico?) "Tenemos Esperanza", em temos nos quais devemos, mais que nunca, ter esperança.



comentando o artigo de André Cavazotti sobre Arrigo Barnabé

Observação: o texto abaixo é uma resenha sobre o artigo de André Cavazotti "O serialismo e o atonalismo livre aportam na MPB: as canções do LP Clara Crocodilo de Arrigo Barnabé", publicado na Per Musi, de Belo Horizonte, v. 1, 2000, p. 5-15. A resenha foi atividade da disciplina de História da Música II, ministrada pelo prof. Ms. Ayres Estima Potthoff no curso de Licenciatura em Música, no Centro Universitário Metodista IPA, em Porto Alegre. Seu uso para fins didáticos é permitido, citando autores do artigo e da resenha. A sua clonagem, não. Além de ser uma baita sacanagem comigo e uma tentativa inútil de fazer o professor de trouxa, plágio é crime. O artigo original pode ser apreciado pelo link: http://www.musica.ufmg.br/permusi/port/numeros/01/num01_cap_01.pdf
Resenhando "O serialismo e o atonalismo livre aportam na MPB: as canções do LP Clara Crocodilo de Arrigo Barnabé” de André Cavazotti  Carlos Augusto Borba Meyer Normann Centro Universitário Metodista - IPA Novembro…

Trenzinho Caipira

Imagem
Trenzinho Caipira, de Heitor Villa-Lobos, violão e voz, este que vos bloga, percussão e voz, com o parceiro e amigo Tobias Mazzotti (também conhecido como baterista da banda Catuípe). A letra é do grande Ferreira Gullar, falecido ontem (04/12/2016), escrita em Poema Sujo:

Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar
Lá vai ciranda e destino
Cidade noite a girar
Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra, vai pela serra, vai pelo mar
Cantando pela serra do luar
Correndo entre as estrelas a voar
No ar, no ar, no ar...

Sem dúvida, o tema é dos que mais atrai instrumentistas e coralistas jovens. A composição, como toda a obra de Villa-Lobos, transita entre o erudito e o popular. Já ganhou interessantes interpretações pelas vozes de Edu Lobo e Adriana Partimpim/Calcanhotto. É parte das Bachianas Brasileiras n. 2, uma das famosas peças de Villa com explícita inspiração em Bach, com o tempero da brasilidade, como que descrevendo o mover de um trem…